(318)
Última edição
Última Edição
Matéria de Capa
Ponto de Vista
Destaque
Internacional
 
Você está em:

SuperHiper

Ao cliente, com carinho e exclusividade 23/11/2016 15:15:24

A boa e velha intimidade, que sempre permitiu, ao dono da venda, chamar seus clientes pelo nome, saber quem ele é, dos seus valores e sua história, está voltando no ritmo da tecnologia da informação, pelas novas plataformas de comunicação e redes sociais. Saiba quanto vale tratar seus clientes de forma personalizada e por que isso é tão importante hoje

 

 

  
A principal razão de ser de qualquer negócio é satisfazer a demanda dos consumidores. Sem isso, não há lucro nem caixa para fazer girar o negócio de forma sustentável. Porém, satisfazer o cliente ficou mais desafiador hoje. O consumidor está em constante transformação e, cada vez mais, dá as cartas desse jogo, por inúmeras razões, que vão desde a crescente diversidade de ofertas até tecnologias que lhe facilitam o conhecimento e expandem suas opções de compra.

 

Esse contexto ajuda a explicar a crescente importância do CRM (Customer Relationship Management), o equivalente em português a “gestão de relacionamento com o cliente” ou, usando termo mais moderno, Marketing de Relacionamento. Seja qual for a nomenclatura, é possível afirmar que, embora a frase “o cliente tem sempre razão” remonte a épocas imemoriais, essa ciência jamais foi tão importante como é hoje.

 

“A prova do aumento da importância do CRM é que a nomenclatura surgiu para designar uma ferramenta. Hoje, designa uma estratégia, uma cultura de gestão cientificamente centrada no cliente. Essa transformação é coisa recente, não tem mais que dez anos”, diz o diretor de Clientes da IBM e professor de CRM, Varejo e E-commerce em cursos de pós-graduação da Escola de Propaganda e Marketing (ESPM), Claudio Santos, que também faz parte do Núcleo de Varejo da instituição.

 

A importância estratégica que essa área adquiriu nos últimos anos é tão flagrante que não é incomum seus gestores responderem diretamente ao principal executivo da companhia. Na Cooperativa de Consumo (Coop), rede de supermercados presente em cidades da Grande São Paulo, sobretudo Grande ABC, e interior paulista, é assim que funciona. “A área de Gestão de Clientes foi um pedido do próprio diretor-presidente da Coop, que, ao tomar a decisão de criar a área, destacou a necessidade de a voz do cliente chegar à alta direção da cooperativa sem filtros”, conta a gerente de Gestão de Clientes da Coop, Susana Souza.

 

Presente e futuro

 

Conhecer a fundo seus clientes, sabendo o que eles querem e desejam, é um ativo valiosíssimo. É principalmente o conhecimento profundo e personalizado de seus clientes que faz o Google, uma marca com apenas dezoito anos de história, valer mais do que empresas centenárias. O fato é que, quanto mais conhecimento se tem dos clientes, maiores são as chances de a empresa desenvolver produtos e serviços que farão sucesso. A base de dados de que dispõe o Google, com diversas informações sobre os clientes, aos olhos do mercado, significa garantia de saúde e longevidade para a companhia.

 

Em outras palavras, permite inovação permanente e mais eficácia. Para esta reportagem, contudo, interessa dizer que o varejo de autosserviço alimentar pode e deve ser um banco de dados sobre o consumidor capaz de fornecer insights para o negócio e para a cadeia, gerando conhecimento profundo e atendimento personalizado.

 

Também interessa dizer que o avanço tecnológico, com destaque à TI (Big Data, computação cognitiva ou inteligência artificial) e as novas plataformas de comunicação (Facebook, Twitter, etc.), proporciona oportunidades ímpares e que aproveitá-las não é privilégio de poucos. É algo acessível a todos e, mais do que isso, fundamental para manter-se competitivo.

 

 

Leia a matéria na íntegra na edição de novembro da revista SuperHiper.

 

 

 

 



 

Últimas

» Sinergia e criatividade para adoçar as vendas da Páscoa 2017 21 de Fevereiro 2017, 16h33
» Um jantar com muita história para contar 27 de Dezembro 2016, 15h59
» Ao cliente, com carinho e exclusividade 23 de Novembro 2016, 15h15
» Trabalho em conjunto dribla adversidades 21 de Outubro 2016, 11h53
» A prevenção de perdas traduzida em ganhos 28 de Setembro 2016, 14h53
» Um novo varejo para um novo consumidor 01 de Setembro 2016, 14h53
» Qual é a sua estratégia de precificação? 05 de Agosto 2016, 11h36
» Quem são os gestores do pequeno varejo? 01 de Julho 2016, 17h58
» De quem é a responsabilidade do GC? 02 de Junho 2016, 10h19
» Pausa para recuperar o fôlego? 04 de Maio 2016, 10h39

Ver mais »
02 Comentários Comentar

Envie seu comentário


Nome:


E-mail:


Mensagem:


AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião de nosso portal. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ABRAS poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

JWJ4CDOJ1DOE

postado:
14 de Março 2017, 03h33
Dear Nami,I think most people will agree with you, regardless of being Japanese or otherwise about preserving the original flavours of food, especially when it comes to expensive stuff like waygu. I love izakaya and there are a few in Sydney where one can enjoy the good, classic flavours with just a small but innirestetg twist. I don’t mind a stronger sauce flavour if it’s like a stew or braised dish in winter where the ingredients take secondary stage.

6PTGXKGGLWVK

postado:
16 de Fevereiro 2017, 00h34
leveto vous m’avez eue, j&riquo;étass prête à hurler au tricheur et casseur de jeu, et puis j’ai mieux lu…A part ça demain je me mets au C coréen, trop beau.